Mais de R$12 milhões em recursos liberados para o Amapá

O senador Randolfe Rodrigues comemora a liberação de 80% das emendas alocadas para o Estado

Todos os senadores tem uma cota de indicação de R$15 milhões em emendas anualmente, como fez o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) para o Amapá. Deste total, 80% foram liberados, exatos R$12.050.000,00 para aplicação, aguardando apenas os trâmites burocráticos necessários para o acesso aos recursos, como projetos e documentações, de responsabilidade de prefeituras e governos. Pouco mais de 40% do total liberado foi destinado para investimentos em saúde, o restante para educação, cultura e infraestrutura. Em novembro, o Senador apresentará novas emendas à Lei Orçamentária Anual de 2014.

Os recursos destinados à saúde somam o total de R$4.850.000,00, divididos da seguinte forma: Para Macapá para compra de equipamentos das Unidades Básicas de Saúde será R$1,5 milhão e mais R$500 mil para reforma das unidades. O Governo do Estado receberá R$1,8 milhão para a saúde especializada. A cidade de Porto Grande também foi contemplada com R$300 mil para a compra de equipamentos das UBS, outros R$250 mil para o município de Pracuuba e R$500 mil para Santana.

No que diz respeito a infraestrutura urbana foram destinados R$3,9 milhões, sendo que R$2,5 milhões já estão na Caixa Econômica Federal para a revitalização da área interna do Mercado Central, patrimônio histórico do Amapá. O projeto está em fase de conclusão para posterior licitação. Mais R$1 milhão para a revitalização das praças Floriano Peixoto e Veiga Cabral, no centro de Macapá e R$ 400 mil para a reforma do Estádio Vilelão, em Santana.

Macapá terá seu segundo 2º Céu das Artes, a ser construído na Zona Sul de Macapá, o senador Randolfe destinou emenda no valor de R$1.655.000,00 para este projeto. Para a aplicação na educação, reforma de escolas em Macapá, um total de R$1 milhão e outros R$645 mil para compra de equipamentos como cadeiras, lousas, televisão e computadores.

“Temos trabalhado para garantir mais recursos para o Estado, agora cabe aos gestores, prefeitos, secretários e o governador, aplicarem com transparência e responsabilidade esses investimentos, para que o povo tenha acesso às benfeitorias”, enfatiza Randolfe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *