Rede Sustentabilidade recorrerá de decisão que livrou Alckmin da Lava Jato

A Rede Sustentabilidade recorrerá da decisão da ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que encaminhou à Justiça Eleitoral o inquérito instaurado com base na delação da Odebrecht que investiga o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), em vez de remetê-lo à Força Tarefa da Lava Jato em São Paulo.

Delatores apontaram Alckmin como o destinatário de R$ 10,7 milhões do setor de propinas da empreiteira. Para o Senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), ” uma empreiteira não entrega 10 milhões em espécie a um político apenas por ir com sua cara, mas, seguramente, por esperar algum favor em contrapartida “, referindo-se à alta probabilidade de se tratar de propina (com alta penalidade, julgada perante a justiça comum) e não de “caixa dois” (de baixa pena, sujeito a julgamento na Justiça Eleitoral).

A decisão foi tomada a pedido do Vice-Procurador-Geral, Luciano Mariz Maia, que é primo de aliado do tucano (o Senador Agripino Maia, cogitado como seu vice, na chapa presidencial de 2006). Essa proximidade pessoal, para o Senador amapaense, “ compromete completamente sua isenção para atuar no caso ”. O ex-Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, autor de diversas denúncias da Lava-Jato e que abriu a investigação contra Alckmin, comentou mais cedo a decisão do colega, classificando-a como “ tecnicamente difícil de engolir ”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *