Biografia

Amapaense de coração! Randolfe Frederich Rodrigues Alves, tem 46 anos, é senador pelo Amapá pela Rede Sustentabilidade. Nasceu em 1972 em Garanhuns, interior de Pernambuco, vive no Amapá desde os 8 anos de idade. É professor, graduado em história, bacharel em Direito e mestre em políticas públicas.

POLÍTICA

Foi deputado estadual por duas vezes, em 1998, reelegendo-se em 2002. Deixou o PT em 2005 para filiar-se ao PSOL. Em 2010, foi eleito o mais jovem senador daquela legislatura, tendo obtido a maior votação da história do Amapá: mais de 200 mil votos. Em 2015, filiou-se à Rede Sustentabilidade. Em 2018, foi reeleito senador com mais de 264 mil votos, a segunda votação mais expressiva do Brasil, a maior do Amapá.

SENADO

Randolfe tem 100% de presença no Senado, ou seja, nunca faltou a uma sessão ou reunião de Comissão. Destinou cerca de R$70 milhões em emendas para o Amapá, metade para a área da saúde. É o senador com o maior número de emendas executadas em todos os municípios do Estado: mais de R$30 milhões. Recursos que possibilitaram as reformas de Unidades Básicas de Saúde em diversos municípios, recuperação das praças Floriano Peixoto, Veiga Cabral e Samaúma, também da aquisição das lousas digitais para todas as escolas do município de Macapá, reforma de escolas, entre outras ações. Além da emenda de Bancada que está garantindo à construção do Hospital Universitário. Foi cinco vezes escolhido como o melhor senador do Brasil pelos jornalistas que trabalham em Brasília, no prêmio Congresso em Foco e seis vezes eleito como um dos “100 Cabeças do Congresso”, pelo DIAP.

LUTAS

Randolfe tem atuado de maneira combativa, liderando ações de combate à corrupção e em defesa dos interesses do Amapá. Contribuiu na formulação das 10 medidas de Combate a Corrupção e relatou a PEC do fim do foro privilegiado no Senado. Também se posicionou em defesa dos trabalhadores e contra a reforma trabalhista. Foi relator das Emendas Constitucionais 79 e 98 que têm possibilitado a transposição dos servidores para os quadros da União, quando os processos estiverem concluídos poderão somar uma economia de R$500 milhões por ano. Apresentou o projeto de Lei da Repatriação, que trouxe quase R$170 milhões para o Amapá em 2015. Seu mandato se pauta na luta pelo desenvolvimento do Amapá, sendo autor da Lei que prorrogou a vigência da Área de Livre Comércio de Macapá e Santana, além de liderar a implantação e regulamentação da Zona Franca Verde.