Mais de 20 passarelas são recuperadas em Macapá com emenda de Randolfe

O senador Randolfe Rodrigues (REDE) destinou R$ 1 milhão em emenda individual para recuperação de 22 passarelas em madeira em áreas de ressaca na capital Macapá, para quatro bairros da região sul da cidade. A Prefeitura Municipal de Macapá já iniciou os serviços.

A construção das passarelas em madeira de lei será nos bairros Pedrinhas, Jardim Marco Zero, Universidade e Congós. O projeto de construção de passarelas em madeira visa criar condições adequadas aos moradores facilitando a locomoção. De acordo com a Secretaria de obras (SEMOB), está em fase final a recuperação da passarela Maria Marola Gato, no Jardim Marco Zero.

“O que queremos é garantir melhores condições para quem vive nas áreas de ressaca”, falou o senador que contribuiu coma construção dos residenciais Açucena, São José e Mestre Oscar que tem contribuído coma evasão dos moradores das áreas de ressaca.

Randolfe recebe representantes do CBMAP em Brasília e se compromete com emenda

 

O senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) recebeu nessa quarta-feira (23) em seu gabinete, em Brasília, o comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBMAP), coronel Wagner Coelho, e o Coordenador de Programas e Projetos do CBMAP, Major Sanches.

Os militares vieram à Brasília pedir ao senador Randolfe Rodrigues a destinação de emenda para a compra de veículo especial para o combate a incêndio florestal no Amapá, que não possui nenhum modelo deste tipo. “Nós temos carro de combate de incêndio urbano, que acaba fazendo esse serviço, mas com a ajuda do senador poderemos comprar o veículo especifico para esse tipo de ocorrência”, afirmou o Coronel.

De acordo com os representantes do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá, o valor do veículo especial custa em torno de R$ 760 mil. O senador Randolfe entende a importância da demanda trazida pelos militares e se comprometeu em destinar emenda individual para 2020 no valor solicitado. “Precisamos melhorar as condições de trabalho da Corporação! Aproximadamente 70% da nossa biodiversidade continua intacta. As florestas estão espalhadas nos quatro cantos do Amapá, e devemos fazer o possível para preservar nosso meio ambiente”, explica.

Emendas

Em junho de 2018, emenda do senador Randolfe Rodrigues possibilitou investimento em capacitação do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá. O convênio compreendeu um investimento total de R$ 205.799,77, sendo 95% do recurso através de transferência da União através de emenda parlamentar do senador Randolfe, correspondendo um montante de R$ 195.509,78, e 5% do recurso em contrapartida do Estado com valor de R$ 10.289,99.

Para 2019, Randolfe destinou emenda no valor de R$ 486 mil para compra de equipamentos e ambulâncias da Corporação. A emenda está em análise pela equipe técnica do Ministério da Justiça

 

 

 

 

 

Projeto de Randolfe pode dobrar recursos destinados ao Amapá

O senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) apresentará um Projeto de Lei, no Senado Federal, para acabar com a isenção dos royalties das petroleiras. Segundo estimativas, a partir de 2017 o Estado Brasileiro deixará de arrecadar cerca de R$ 1. 1 trilhão, a cada 35 anos, com essas isenções, sendo que R$ 338 bilhões deixarão de ir para estados e municípios.

Para Randolfe, o projeto é de extrema importância uma vez que os recursos que estão sendo destinados às grandes empresas, serão repassados aos estados, municípios e União.

Randolfe defendeu a proposta em plenário nessa terça-feira (15), durante votação do PL da Cessão Onerosa, que define as novas regras para partilha da arrecadação com o leilão de petróleo do pré-sal. Do valor previsto inicialmente no PL 5.478/2019, de R$ 10.5 bilhões para os estados, somente R$ 4.8 bi chegarão ao destino. Os R$ 5.7 bi restantes serão perdidos em isenções concedidas para petroleiras.

Após a aprovação do projeto de Randolfe, entretanto, os novos leilões estariam sujeitos às novas regras, ou seja: todo valor arrecadado será destinado, de fato, à União, estados, municípios e Distrito Federal, sem que haja qualquer tipo de isenção.

Amapá

Estima-se que com a aprovação do Projeto do senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) serão destinados cerca de R$ 320 milhões por ano ao estado do Amapá.

Projeto de Randolfe pode dobrar recursos destinados ao Amapá

O senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) apresentará um Projeto de Lei, no Senado Federal, para acabar com a isenção das petroleiras. Segundo estimativas, a partir de 2017 o Estado Brasileiro deixará de arrecadar cerca de R$ 1. 1 trilhão, a cada 35 anos, com essas isenções, sendo que R$ 338 bilhões deixarão de ir para estados e municípios.

Para Randolfe, o projeto é de extrema importância uma vez que os recursos que estão sendo destinados às grandes empresas, serão repassados aos estados, municípios e União.

Randolfe defendeu a proposta em plenário nessa terça-feira (15), durante votação do PL da Cessão Onerosa, que define as novas regras para partilha da arrecadação com o leilão de petróleo do pré-sal. Do valor previsto inicialmente no PL 5.478/2019, de R$ 10.5 bilhões para os estados, somente R$ 4.8 bi chegarão ao destino. Os R$ 5.7 bi restantes serão perdidos em isenções concedidas para petroleiras.

Após a aprovação do projeto de Randolfe, entretanto, os novos leilões estariam sujeitos às novas regras, ou seja: todo valor arrecadado será destinado, de fato, à União, estados, municípios e Distrito Federal, sem que haja qualquer tipo de isenção.

Amapá

Estima-se que com a aprovação do Projeto do senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) serão destinados cerca de R$ 320 milhões por ano ao estado do Amapá.

Macapá tem Nova Feira Maluca

Totalmente reconstruída, com emenda do Senador Randolfe Rodrigues (REDE), foi entregue para os feirantes e toda a população a Nova Feira Maluca. Na segunda-feira (30) a Prefeitura de Macapá organizou uma grande festa de inauguração.

O novo espaço contempla 91 boxes, que contam com pia e bancada em granito. No local, serão comercializados diversos produtos hortifrutigranjeiros, pescados, aves, carnes bovina e suína, produtos extrativistas. Além de serviços de barbearias, terá ainda lanchonete.

A obra foi reconstruída com recursos oriundos de emenda parlamentar do senador Randolfe Rodrigues, orçada em R$ 1.353.000,00, por meio do Ministério da Defesa, com recursos provenientes do Projeto Calha Norte, além de investimentos da Prefeitura de Macapá, no valor de R$ 812.381,48. Clécio Luís saudou e agradeceu a todos pelo empenho por mais essa conquista para a população de Macapá. Ele também lembrou de como era o antigo espaço da feira e disse que o novo ambiente trará dignidade em todos os sentidos.

“Quero deixar registrado e agradecer a todos que colaboraram com essa conquista. Cito como exemplo de investimentos para essa área as reformas de quatro UBS’s e mais uma em andamento, residenciais São José e Açucena, construção de passarelas de concreto e madeira, Creche Tia Chiquinha, e estamos em fase final de uma licitação de R$ 45 milhões que transformará a Claudomiro de Moraes em um grande eixo de mobilidade urbana de Macapá”, disse o prefeito em agradecimento ao senador Randolfe.

No espaço foi feita a homenagem ao cantor Naldo Maranhão, que tem um CD intitulado ‘Feira Maluca’, e ao jornalista Corrêa Neto, que fez um jornal semanal com o mesmo nome, lançado em 1996 para homenagear o espaço. O novo ambiente funcionará todos os dias, das 7h às 21h, e atenderá os bairros Novo Buritizal e adjacentes, como Congós, Buritizal, conjunto Cuba de Asfalto e os moradores dos habitacionais Jardim Açucena e São José.

“É realmente a realização de um sonho. Estive várias vezes na feira e precisava cumprir essa promessa. Ficou linda e adequada para bem receber toda a população. Essa entrega é mais uma para este núcleo de vários bairros da zona sul. Já fizemos a entrega das Unidades Básicas de Saúde do Congós e Lélio Silva, além da Raimundo Hozanan, bem como os Habitacionais e a creche Tia Chiquinha”, ressaltou o autor da emenda da feira.

Dona Maria Isabel Moraes, conhecida como dona Bebel, é feirante e chegou cedo para conhecer o seu novo local de trabalho. “Nunca vi uma feira tão bonita como essa. Trabalho há trinta anos neste local, nem de longe lembra a antiga. Estou muito feliz com a nova Feira Maluca, onde teremos mais dignidade, higiene e segurança. Agradeço ao prefeito Clécio e ao senador Randolfe Rodrigues por esta bela obra”, ressaltou.

Identidade visual

A Nova Feira Maluca recebeu uma identidade visual própria criada pelo artista plástico Afrane Távora, que trouxe toda essa mistura de cores e sabores, marcas registradas do local. Afrane tem um olhar interessante em suas obras, deixando a arte fluir em traços aleatórios, cores vibrantes e formas estilizadas que se somam em uma composição final: um mosaico de exercício à criatividade e interpretações.

Construção

As novas instalações receberam ampliação, uma nova cobertura em estrutura de ferro e zinco com adaptação térmica, iluminação. Já na área de estacionamento, o novo espaço ganhou a inclusão de capa selante e a correta sinalização com vagas exclusivas para pessoas idosas e com deficiência. Na área do entorno, foram feitos serviços de instalação do sistema de drenagem, meio-fio, pavimentação nas ruas laterais e iluminação com a inclusão de novas e modernas luminárias e projetores.

Para dar comodidade e segurança, o local também foi contemplado com o novo sistema de sinalização horizontal e vertical, faixa de pedestre, delimitação de preferências de rua. E, claro, dando um toque final, o espaço ganhou nova identidade visual com inserção de faixada, painéis externo e interno, identificação de boxes e totens, além do paisagismo na área da frente da feira com plantio de mudas de plantas ornamentais.

 

Amapaenses integram Conselho Editorial do Senado Federal

Hoje (29), o Presidente do Conselho Editorial do Senado Federal, Senador Randolfe Rodrigues, deu posse aos novos integrantes do Conselho Editorial, no Salão Nobre do Senado Federal. A Jornlaista Alcinea Cavalcante e o poeta Joãozinho Gomes são os novos Conselheiros da Sociedade Civil.

O Conselho Editorial (Cedit), criado em 1997, é o órgão normativo responsável pela formulação e implementação da política editorial do Senado Federal. Este setor cumpre com a atribuição de publicar obras fundamentais da cultura brasileira de caráter econômico, social, político e histórico.

O Senador Randolfe Rodrigues, ao assumir a presidência do Conselho, reestruturou o Órgão dando-lhe nova configuração com o predomínio de conselheiros da sociedade civil. Nessa nova fase, o Conselho contará com intelectuais, escritores, reitores, jornalistas, educadores e atores, representativos da diversidade étnica e cultural do país.

Além do presidente, fazem parte da nova composição do conselho Esther Bermeguy de Albuquerque (Vice-presidente), Alcinéa Cavalcante, Aldrin Moura, Ana Luísa Escorel, Ana Maria Machado, Ricardo Caichiolo, Cid Benjamin, Cristovam Buarque, Elisa Lucinda, Fabricio Ferrão, Ilana Feldman, Ilana Trombka, Joãozinho Gomes, Ladislau Dowbor, Márcia Abrahão Moura, Rita Potyguara, TT Catalão, Toni Carlos Pereira.

Senador Randolfe viaja pela BR-156 e obras continuam paralisadas

O senador Randolfe Rodrigues (Rede) esteve em Oiapoque para verificar as obras da BR-156 que continuam paralisadas. O ministro da Infraestrutura chegou a anunciar o retorno das obras. Entretanto, a previsão real é – após vencidos problemas técnicos – que retornem antes de outubro.

“As máquinas estão paradas, o material está aqui e não podemos perder recursos mais uma vez. Vamos solicitar novamente agenda com o Ministro Tarcísio Freitas para pressionar pelo retorno das obras antes das chuvas”, afirmou o senador, que tem tentado um agenda com o Ministro sobre a urgência da pauta.

De acordo com o documento recebido pelo gabinete do senador Randolfe, no início do mês de agosto, em resposta às solicitações feitas pelo parlamentar, as obras do trecho Norte da BR-156 estão divididas em dois lotes. O Lote 2 tem cerca de 27Km, atualmente está sendo realizado trabalho de drenagem e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) calcula que 10km deverão estar asfaltados até o final do ano.

O Lote 3 está paralisado em decorrência de pendências em relação às terras indígenas. O Dnit tem que cumprir a condicionante de construção de sete aldeias, algo em torno de R$35 milhões.

O Ministério ainda informou o destacamento do valor de mais de R$52 milhões na Lei Orçamentária Anual (LOA) para a conclusão da obra.

Sobre a BR-156

O asfaltamento do trecho Norte da rodovia foi iniciado há 43 anos e cerca de 110 Km ainda seguem tomados pela lama e poeira.

O trecho ainda não finalizado fica entre as cidades de Calçoene e Oiapoque e é considerado crítico principalmente no período chuvoso, onde é rotineira a erosão da pista e a formação de atoleiros.

Desde 2011 o senador busca alternativas para a conclusão da obra. “É uma vergonha uma obra perdurar por mais de 40 anos, prejudicando o desenvolvimento do Estado e a vida das pessoas”, disse o parlamentar – que chegou a se reunir com o exército para que eles tomassem a responsabilidade pela execução do asfaltamento.