CPI do ECAD ouve os músicos Sandra de Sá e Ivan Lins nesta quarta-feira (24)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga denúncias de irregularidades no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) realiza a terceira oitiva de depoimentos nesta quarta-feira (24). A reunião da CPI do Ecad começa às 13h, na sala 7 da Ala Nilo Coelho do senado Federal. Serão ouvidos os seguintes depoentes:

Sandra de Sá- Cantora e compositora que integra a diretoria da União brasileira de Compositores (UBC). Entidade a qual Milton Coitinho dos Santos, motorista da cidade Bagé era supostamente filiado. O motorista teria recebido mais de R$ 120 mil do Ecad por composições de diversos autores. Em depoimento na CPI, Coitinho afirmou nunca ter sido compositor e também não ter o dinheiro.

Ivan Lins – Cantor e compositor, o artista defende a regulamentação do ECAD por ser contrário ao seu atual modelo de arrecadação e distribuição.

Márcio de Oliveira Fernandes – Gerente Executivo de Arrecadação do ECAD Márcio será questionado sobre o regulamento de arrecadação do ECAD e suas taxas de administração.

Daniel Campello Queiroz – Advogado Especialista em Direito Autoral O advogado falará sobre alternativas para um novo modelo de direito autoral no Brasil, além de ser questionado sobre as aplicações e receita financeira da entidade e denúncias de associações que emprestam dinheiro a juros aos associados.

Promoters- Nesta terça-feira (23), o Senador Randolfe Rodrigues, recebeu em seu gabinete um grupo de aproximadamente 30 pessoas, representando os promoters de todo o Brasil. O presidente da Associação Brasileira de Produtores de Eventos (ABRAPE), Lúcio Oliveira, entregou a Randolfe uma proposta da Associação para o relatório da CPI. Eles discordam do atual modelo de arrecadação e distribuição de direitos autorais praticado pelo ECAD. A proposta dos promoters sugere que o recurso do direito autoral seja subtraído do cachê do próprio artista, ou que seja criado um conselho que regule e fiscalize o Ecad, para que se tenha clareza dos critérios adotados para a cobrança feita pela entidade em cada evento.

  • Por favor, eu gostaria de ler o depoimento da Sandra de Sá
    e porque razão ela está chorando,
    é claro a coisa está ficando preta para o lado dela, era muito dinheiro que estavam levando, e a boquinha agora vai acabar e assim esperamos, que paguem a quem na verdadfe trabalha e tem seus direitos roubados por esta cambada.

  • Por favor, não adianta somente ouvir, por exp. os grandes como ja foram ouvidos,
    as reclamações não é apenas por o ECAD, pagar indevidamente a titulares, pois isto não existe, porque todas as obras são feito inclusão no mesmo, desta forma fica totalmente um assunto sem nexo.
    Agora eu pergunto, porque o ecade se nega a pagar, os titulares que tem direito com provas em mãos, ainda acusa dizendo que ouve distorção na amostragem, quem é o ecad para fazer este tipo de acusação, pois se o mesmo mandou seu agente fazer a gravação do evento juntamente com um supervisou, então vejam que não é na verdade o que estão discutindo nesta CPI, pois tem muitas coisas n]ão esclarecidas,pois eu lhes digo, tenho valores para receber desta famigerada empresa, e eles se negam apagar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *