Iniciativa de Randolfe deve trazer escola do empreendedorismo ao Amapá

A presidência do Sebrae foi recebida hoje em Brasília no gabinete do senador

O senador Randolfe Rodrigues (REDE –AP) recebeu na tarde desta quarta-feira (23), em Brasília, o diretor presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles, o diretor superintendente do Sebrae do Amapá, Waldeir Garcia, a diretora técnica, Marciane Costa. Os participantes debateram sobre a importância do Sistema S e a perspectiva da abertura de uma escola de empreendedorismo do Sebrae no Amapá.

Randolfe reafirmou a notabilidade do Sistema na formação de profissionais para as mais diversas áreas e expôs que é um dos signatários da Frente Parlamentar em Defesa do Sistema S: “Eu sou testemunha dessa importância. Meu primeiro emprego, aos 16 anos, foi como digitador após ter concluído um curso no Senai. Trazer a escola para o nosso Amapá será um grande passo para o desenvolvimento do estado”, explicou.

Para Randolfe, “o Sebrae contribui para o desenvolvimento do Brasil ao fomentar o empreendedorismo, oferecendo capacitação para aqueles que pretendem abrir o próprio negócio”. O presidente Carlos Melles explicou que essa é apenas uma das frentes em que o Sebrae atua. Outra muito importante se dá nas escolas de empreendedorismo estruturadas pelo Sebrae. “Difundimos a cultura empreendedora entre jovens e adultos, com uma metodologia única. Nesta semana, por exemplo, a Escola de Formação Gerencial de Minas Gerais, está completando 25 anos de transformação social”. Melles destacou ainda a importância dos pequenos negócios na economia brasileira. De acordo com ele, “hoje são mais de 16 milhões de micro e pequenas empresas; elas representam 99% das empresas de todo o país”.

Marciane Santo, do Sebrae-AP, lembrou que o “Amapá era o campeão da taxa de desocupação até 2018 e que a geração de empregos via pequenos negócios locais é um fator determinante para o desenvolvimento da economia do estado”.

Durante a reunião, foi pactuado a abertura de uma dessas escolas Amapá! “A ideia é inserir a disciplina de empreendedorismo no currículo escolar, criando uma escola modelo de qualificação para a nossa juventude. Também nos comprometemos em apresentar um projeto de decreto legislativo para inserir nas prerrogativas expressas da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal a temática do empreendedorismo”, explica Randolfe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *