Randolfe debate desenvolvimento econômico no Conselho Deliberativo do Sebrae

O Conselho Deliberativo do Sebrae Amapá recebeu o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), na manhã de sexta-feira (08), para a abertura de sua reunião ordinária, com a presença da diretoria executiva da instituição. Os representantes dos diversos seguimentos da economia queriam ouvir as ideias de Randolfe para o desenvolvimento do país e do estado. A reunião foi presidida pelo empresário Alfeu Adelino Dantas Junior, presidente do Conselho. Na ocasião Randolfe assegurou aos empresários e representantes de entidades de classe que vai trabalhar em prol das matérias de interesse das micro e pequenas empresas no Senado.

Randolfe fez uma breve explanação sobre os problemas que considera centrais para que o Brasil saia da condição de mero exportador de commodities para se tornar um país industrializado. Infraestrutura, educação e qualificação profissional são os principais gargalos a serem resolvidos, para que o país dê esse salto na opinião do senador. A maior taxa de juros do planeta também foi considerada pelo senador como um grave entrave para o crescimento do setor industrial.

Para o Amapá, Randolfe defende a consolidação de um corredor comercial com o platô das Guinas, a Venezuela e o Caribe. Destacou a importância da ponte binacional sobre o rio Oiapoque, mas alertou para as questões diplomáticas com a França, para quais está se dedicando. “Precisamos resolver o acordo de livre trânsito de cargas previsto no PDL 1655, que está no Senado”, explicou. Destacou também o projeto de Lei que trata dos entes subnacionais, como Amapá e Guiana Francesa, para que ganhem autonomia para estabelecer relações comercias.

O senador relatou outras duas frentes de ação para alavancar o desenvolvimento do Amapá. Uma delas é a solução definitiva para a questão energética, com a federalização da CEA de forma negociada para que o prejuízo não recaia sobre o estado. A segunda frente é a chegada da banda larga que virá por dois caminhos: a venda da banda a preço de Plano Nacional pela Telebras ao consórcio BNO/NTC, e a interligação por cabos de fibra ótica trazidos da Guiana Francesa. As duas boas novas foram asseguradas essa semana pelo presidente da Telebras, Caio Bonilha, em telefonema ao senador.

O projeto de repactuação do Fundo de Participação dos Estados – FPE, de autoria do senador amapaense, foi muito elogiado pelos conselheiros do Sebrae. Eles aproveitaram para expor ao senador as principais inquietações do setor empresarial como a pesada carga tributária do país, a falta de planejamento estratégico para o setor no Amapá. Pediram emprenho e celeridade nos debates do Código Florestal e apoio especial para o setor primário, segundo eles um dos mais precarizados na economia do Amapá.

Natanildo Neves, representante da Federação dos Pescadores, pediu ao senador que se empenhe em trazer recursos para a construção de um porto para atracação de grande porte, o que facilitará a exportação do pescado, bem como o fluxo do turismo. Pediu também empenho junto ao Ministério do Desenvolvimento e ao Ministério da Pesca para que os pescadores das ilhas do Pará possam solicitar no Amapá a emissão do Registro Geral de Pesca, bem como outros procedimento como aposentadoria e benefícios do INSS.

Na segunda quinzena de julho, durante o recesso parlamentar, o senador Randolfe fará agenda específica com cada entidade do setor produtivo para ouvir suas reivindicações e encaminhar as pautas no Congresso Nacional. “Estaremos à inteira disposição dos senhores para juntos encontrarmos soluções para os entraves que impedem o desenvolvimento da nossa economia”, finalizou o senador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *