Randolfe quer trazer CPI do Tráfico Humano ao Oiapoque

O mercado mundial do tráfico de seres humanos fatura 32 bilhões de dólares por ano. Esse é o cálculo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que coloca o Brasil entre os países que mais pratica o crime no cenário mundial, sendo o maior das Américas. Auxiliar na busca de soluções para esse prática criminosa que, segundo a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE), explora mais de 2,5 milhões de pessoas no mundo, é o novo desafio do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Randolfe é o vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico Humano, instalada na última semana e que realizou sua primeira reunião nesta quarta-feira (04). A senadora Marinor Brito (PSOL-PA) é autora do requerimento que pediu a criação da CPI e foi escolhida como relatora da Comissão que é presidida pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Durante a reunião desta quarta-feira, foi definida uma agenda de audiências públicas com a participação de diversos representantes da sociedade civil, autoridades e especialistas no tema. A CPI volta a se reunir no dia 10 de maio.

“Esse é um dos crimes mais abomináveis que pode existir no mundo. A CPI foi proposta na hora certa. Estamos elaborando um roteiro de visitas da Comissão em algumas cidades identificadas como rota de tráfico. Nessas visitas certamente teremos que incluir o município de Oiapoque que já foi apontado em diversos levantamentos como um dos pontos de incidência do tráfico de pessoas no Amapá”, declarou o Senador Randolfe.

De acordo com a Organização dos Estados Americanos (OEA), no Brasil existem aproximadamente 240 rotas de tráfico interno e internacional de crianças, adolescentes e mulheres. A CPI terá 120 dias para fazer um mapeamento do tráfico de pessoas no país, identificando os principais entraves no combate a esse crime. Após o levantamento, os senadores irão elaborar uma proposta legislativa que auxilie no enfrentamento da prática.

O senador amapaense acredita também que o trabalho da Comissão será imprescindível para o levantamento preciso de dados do problema no estado do Amapá. Outro foco da Comissão será as cidades brasileiras que irão sediar os jogos da Copa do Mundo em 2014, período em que ocorrerá uma grande circulação de turistas no país.

Tráfico de pessoas – O tráfico de seres humanos ocorre quando pessoas são negociadas, transportadas, recrutadas ou aliciadas para fins de exploração. Casos como trabalhos e serviços forçados, exploração sexual, por meio da prostituição, e remoção de órgãos são os mais freqüentes.

Por Gisele Barbiere

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *