Randolfe Rodrigues pede fechamento da fronteira do Amapá com a Guiana Francesa em função do Coronavírus

O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), líder da oposição no Senador Federal, enviou ofício ao Ministério das Relações Exteriores e ao Ministério da Defesa solicitando o fechamento da fronteira do Amapá com a Guiana Francesa. Os documentos, endereçados aos ministros Ernesto Araújo e Fernando Azevedo e Silva, respectivamente, foram encaminhados no início da noite desta segunda-feira (16) e fazem parte dos esforços para conter a propagação do coronavírus no território brasileiro.

Desde a chegada do vírus ao Brasil, diversas medidas foram tomadas para reduzir os impactos da pandemia no país. Dentre elas, suspensão de aulas, regime de teletrabalho no funcionalismo público, evitar aglomerações e interações pessoais desnecessárias.

Para o senador Randolfe Rodrigues, é importante a união e atuação conjunta de todas as autoridades no enfrentamento da pandemia do coronavírus. O parlamentar também defende a rápida tomada de medidas preventivas para diminuir os riscos de contágio e proteger a população brasileira.

O fechamento de fronteiras já vem sendo implementado na Europa e em alguns países das Américas Latina e do Norte. Até o momento, o governo brasileiro não cogitou essa possibilidade, mesmo com alguns vizinhos adotando a medida. Chile e Argentina, por exemplo, implementaram controles de entrada de não residentes em suas fronteiras.

“Na Guiana Francesa foram onze casos confirmados pelas autoridades e, considerando o fluxo de pessoas na região fronteiriça, o impacto da pandemia do coronavírus no Amapá não pode ser ignorado“, alertou Randolfe.

Com o ofício, Randolfe espera que os ministros se sensibilizem para com a proteção dos brasileiros e de toda população do Amapá de não ver a proliferação da doença no estado e realmente convençam o senhor Presidente da República de que o fechamento, por mais dramático que seja, é a melhor solução no momento para proteger o nosso povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *